quinta-feira, 18 de abril de 2013

José Ricardo apresenta dois projetos: prevenção de enchentes e vazantes e Dia Estadual da Aviação


O deputado José Ricardo Wendling (PT) apresentou Projeto de Lei que institui a Semana de Prevenção e Estabelecimento de Estratégias de Combate aos Efeitos das Enchentes e Vazantes do Estado do Amazonas. “As ações do Estado nessa área são feitas sem planejamento. Mas as enchentes e as vazantes são fenômenos que acontecem todos os anos, podendo ser planejadas ações e estratégias para evitar prejuízos maiores à população que vive nessas áreas”, afirmou.

Pela proposta, essa Semana passará a constar no calendário oficial do Estado, sendo que o período de realização será determinado pelo Governo, mediante proposta do órgão de Defesa Civil. E como ações, deverão ser realizadas: audiências públicas, campanhas, elaboração e distribuição de folders e demais ações necessárias, com o objetivo de implementar estratégias de combate aos efeitos das enchentes e das vazantes.

De acordo com o parlamentar, as intervenções do Estado durante as enchentes e as vazantes sempre acontecem após a ocorrência de tragédias, com gastos orçamentários sem previsão e, geralmente, sem procedimento licitatório – momento em que se aproveitam alguns maus gestores. “Por isso, defendo que deve haver tempo hábil e espaço para discussão e estabelecimento de estratégias, de forma participativa, com todos os segmentos sociais e governamentais afins, com o fito de se estabelecer um planejamento estratégico para prevenir, evitar tragédias e combater os efeitos oriundos das cheias e das secas”.

Dia Estadual da Aviação

No dia 21 de abril de 2013, completará 100 anos do primeiro vôo civil em Manaus. O ano de 1913 marcou um novo período para a história do transporte aéreo no Amazonas. Entendendo a importância desta data, o deputado José Ricardo Wendling (PT) apresentou Projeto de Lei que institui neste dia (21/4) o Dia Estadual da Aviação no Amazonas.

Para ele, o transporte aéreo ainda é um grande desafio no Estado, tendo em vista as dificuldades de acesso aos municípios do interior. “Temos grande deficiência nesse transporte. Há cidades que nem aeroporto tem e outras em que as pistas são perigosas e de difícil pouso e decolagem”, contou ele, que cobra do Governo do Estado providências para a melhoria desse serviço. “A presidenta Dilma tem recursos aprovados para a construção de 18 aeroportos. O que falta é vontade política”.

O deputado completou que não se pode pensar em desenvolvimento sem infraestrutura e logística, onde entram os portos, as estradas e os aeroportos funcionando a contento e serviços de qualidade na comunicação (telefonia e internet). “São um conjunto de ações que visam o desenvolvimento da capital, mas, principalmente, do interior do Estado, que vive abandonado”.

Por meio de pesquisa feita pelo professor e historiador José Wilson Aguiar, no trabalho denominado “Os primórdios da Aviação em Manaós”, concluído em 2012, o primeiro avião a fazer vôo em Manaus foi um aeroplano de tipo Blériot, com hélice de madeira, com máximo de 200 quilos, tendo como piloto o francês Lucien Deneau, que ficou conhecido na cidade como “homem pássaro”.

Fonte: Assessoria de Comunicação